Noticias em Forma de Post

 


 

Hoje dia 12 de Março de 2010 devo confessar que ando um bocado a leste do que se passa lá por fora. Sei que o mundo continua a girar mas cá por casa dedicamo-nos cada vez mais a novos projectos, aos filhos e ao novo amor. Assim de repente recordo as greves na Grécia mas também o sentimento de que todos se precisam de sacrificar, recordo os óscares e a surpresa de ter sido um filme com baixo orçamento que se destacou, recordo a derrota do Porto, a neve em Espanha e os abanões que o planeta nos está a dar a um ritmo assustador.


 

Cá por dentro não só ando a leste como evito ao máximo ouvir noticias. Sinceramente tenho de confessar que me sinto cansada de escutas, casos e complots. Sinto-me cansada de ouvir acusações sem que ninguém seja julgado, sinto-me cansada de todos os escândalos que envolvem a nossa politica sem que ninguém se demita ou seja demitido. Cá por dentro destaco a campanha do “arredondamento” pela Madeira, a vitória do meu sporting e o choque que levei com o “suicidio” de uma criança que sofria nas “mãos” de outras crianças.


 

Cá por casa decidimos arrumar a papelada toda e descobrimos que: Sim é verdade eu de facto não paguei aquela factura à tmn como insisita em dizer que sim uma vez que a mesma estava fechada dentro do envelope assim como a tirei do correio. O cartão multibanco afinal tinha chegado eu é que não dei por isso. O cheque universo afinal tinha sido emitido há tanto tempo que até perdeu a validade e o condominio tinha efectivamente enviado as contas. Cá por casa corremos - e atenção aviso desde já que agora é a parte em que vai tudo levar a mão á cabeça – para o cabeleireiro a achar que tinhamos apanhado piolhos mas afinal era só uma alergia, aprendemos que se formos dando pulinhos enquanto nos tentamos enfiar numas calças acabamos por entrar e, andamos aouvir aquilo que nunca pensámos ouvir “olha lá não achas que é melhor começares a ter cuidado com o que comes?”Cá por casa apanhámos outro susto quando a mãe foi internada com uma pneumonia e apesar do optimismo constante tenho de confessar que a preocupação se instalou.


 

Eu? continuo assim muito mãe, muito mulher mas sobretudo Eu mesma.

publicado por Marta às 00:10